Uma criança e um animal de estimação formam uma boa dupla. Pets são para as crianças fonte de bem estar, estimulando áreas do desenvolvimento infantil, assim como, ensinam os pequenos a
respeitar a vida, a dar e receber afeto, além de promover a boa convivência.

Segundo o veterinário inglês Bruce Fogel, os animais de companhia atuam como uma “janela” para a família, em outras palavras, são um vínculo essencial nas relações familiares, principalmente, porque atualmente o núcleo familiar tem sofrido muitas transformações e nem sempre é formada por um pai, uma mãe e filhos. Milhares de lares são cuidados por um pai ou uma mãe que tem a grande responsabilidade de cuidar dos filhos.

Diante de várias situações, as crianças podem experimentar o sentimento de confiança e amizade, ao estarem ao lado de um animal de companhia. Elas encontram apoio enquanto atravessam as diversas etapas do crescimento e desenvolvimento.

Uma criança que começa a andar na companhia de um cãozinho pode ter ainda mais estímulos e força para explorar o mundo ao seu redor. Ele ajuda a criança a construir uma ponte de comunicação com outras crianças, aumentando também a habilidade de aprender e a dominar a expressão verbal, sem falar que a aceitação incondicional do animal de estimação favorece a autoestima e quando adulto certamente irá combater a violência contra os animais.

Cuidando de um animal, a criança aprenderá a ser mais responsável, terá autocontrole e autodisciplina, além de favorecer a atenção e concentração. Entre outros benefícios, o trabalho de ser pai e mãe de filhos felizes se faz mais facilmente com a ajuda de um animal como membro da família.

O primeiro contato entre um animal de companhia e um bebê será o início de uma relação frutífera, contudo, essa interação requer um planejamento cuidadoso porque a rivalidade não é exclusiva das crianças, e se a família já possui um gato ou um cachorro que era o centro da atenção, esses podem ver o bebê como um rival. É preciso realizar alguns procedimentos para que o animal de estimação trate com carinho o novo membro da família.

  1. Primeiramente, a docilidade do animal e sua saúde perfeita são o “ponto de partida” para se viabilizar a interação com as crianças. Antes mesmo da chegada do bebê, estimule o pet a se relacionar o máximo possível com crianças de todas as idades, inclusive, bebês. O cão vai se acostumando com a presença deles, começando com o olhar e o sentir o cheiro do bebê.
  2. Acostume o animal a ouvir sons de um bebê, até mesmo usando uma gravação.
  3. O pet deve se acostumar com todos os objetos relacionados ao bebê, tais como: berço, carrinho, bebe conforto e brinquedos. Vale ressaltar que é necessário ter bom senso, por exemplo, no caso do cão ter contato com os brinquedos deve-se passar álcool nos objetos para higienização.
  4. Deixe o pet se familiarizar com os odores típicos de um bebê: pomada, shampoo, sabonete, colônia, etc. Antes da apresentação do bebê ao seu pet, deixe um paninho com o cheiro do bebê onde fica o animal.
  5. Devem-se corrigir os problemas de comportamento e obediência do cão, por exemplo, pular nas pessoas ou de ficar latindo.
  6. Esteja presente em todos os momentos em que o pet e o bebê estejam juntos, assim, você vai assegurar tranquilidade e estabilidade entre os novos amigos que estão se conhecendo.
  7. Ofereça petiscos ao cão nas primeiras semanas durante a interação com o bebê.
  8. Seja paciente com o animal, pois, assim como, uma criança pode se sentir que não é mais o foco da atenção dos adultos, diante da chegada de um irmãozinho, e passa a ter um papel mais infantil, isto é, mostrando um comportamento de regressão dizendo que também é um bebê, por sua vez, o cão pode vir a agir como filhote, fazendo as necessidades no local errado. Com paciência, carinho e uso de educador o animal vai se adaptar.
  9. No caso de gatos, treine para que ele não suba ou entre no berço.
  10. Crie suas próprias estratégias seguindo duas observações: continue a dar carinho e atenção ao seu pet, ainda que em menor tempo e vá permitindo que a interação aconteça gradativamente e com constância.

Luciana Issa
Diretora Técnica